Ho’oponopono: o ritual havaiano que promete trazer energia e reconciliação

Por meio de mantras falados e técnicas simples, o método busca reconciliação pessoal e na sociedade como um todo há décadas – e obtém resultado

Sinto muito. Me perdoe. Eu te amo. Sou grato. O que essas quatro possuem em comum? Todas estão presentes no mantra do ho’oponopono, um ritual havaiano que busca reconciliar e pacificar a quem busca por ele. Ou pelo menos é isso que propõe a sua criadora, Sra Kahuna Morrnah Nalamaku Simeona, e até mesmo sua etimologia.

De origem havaiana, ho’o significa “causa” e ponopono significa “ajustar, corrigir, ordenar” entre outras palavras da mesma ordem. Quando juntas, o termo que conquistou uma legião de seguidores significa, em linhas gerais, “corrigir um erro”. E esse erro pode ser de diferentes naturezas.

O método que representa hoje nosso pilar Espírito é, na verdade, uma adaptação de um conceito mais antigo: o Ho’oponopono Huna, usado por sacerdotes antigos, pertencentes ao clero, portanto a casta mais alta da sociedade, para mediar conflitos e manter a sua região pacificada. 

Já o Ho’oponopono de Identidade Própria seria a versão moderna proposta por Kahuna, que consiste em praticar as mesmas técnicas, mas busca uma aplicação mais focada no âmbito pessoal dos seus seguidores, que visa restaurar suas relações conturbadas – inclusive a consigo mesmo.

Sua proposta principal é assumir responsabilidades diante dos acontecimentos da vida e entender qual foi o seu papel dentro delas – um pouco semelhante até mesmo à Comunicação Não-Violenta, que explicamos aqui como funciona. 

Uma vez identificada, é hora de repetir o mantra principal da filosofia Ho’oponopono, que se relaciona principalmente com compaixão, perdão e empatia: Sinto muito. Me perdoe. Eu te amo. Sou grato. Mais do que perdoar ao outro, é importante perdoar a si mesmo, e compreender que muito do que nos acontece, só ocorre porque permitimos determinadas situações.

Não é preciso, porém, recitar as palavras em voz alta. Deixá-las ecoando em sua mente ao longo do seu dia, principalmente quando a situação é conflituosa, trará efeitos em diferentes aspectos de sua vida. 

Mas lembre-se de que é preciso estar realmente atento e disposto a receber essas mudanças de braços abertos, sem a pressão da rapidez. Apesar de não ser uma prática religiosa, ela é espiritualizada, portanto demanda sua presença de espírito de maneira íntegra.

“O principal é assumir que se algum relacionamento conflituoso está em sua vida, a situação é de sua responsabilidade. Afinal, você só reconhece aquilo que conhece. E se algo está incomodando, é porque conhece aquilo, está no seu inconsciente ou mesmo no seu consciente” como explica a terapeuta Regina Restelli ao site Personare.

Neste vídeo, ela ensina de maneira prática como aplicar o mantra em suas vivências: 

Agora que você já conhece o Ho’oponopono, é hora de colocar em prática! A vida é feita de uma constante busca pessoal em alinhar nossos desequilíbrios – essa, aliás, é a premissa básica do Plenae. Porém, cada sujeito possui a sua própria trajetória para obter sucesso nesse objetivo. O importante é estar sempre em busca de sua melhor versão. E você, já buscou ser o seu melhor hoje?

Tags: / / / / / / / / / / / / / /