Coloque em prática

Novo estudo revela 5 tipos de bebedores problemáticos

Identificar em que momento o nível de consumo de álcool passa a ser um problema é um desafio clínico, uma vez que tolerância, comportamento e definições pessoais de aceitabilidade são variáveis.

29 de Novembro de 2018


Identificar em que momento o nível de consumo de álcool passa a ser um problema é um desafio clínico, uma vez que tolerância, comportamento e definições pessoais de aceitabilidade são variáveis. Um novo estudo , publicado nesta semana no periódico Alcohol & Alcoholism , detectou cinco subgrupos de bebedores considerados problemáticos. A partir dessa divisão, poderá se tornar mais fácil fazer o diagnóstico do distúrbio e adequar o tratamento do paciente. O estudo baseou-se em dados de 5.400 usuários entre 18 e 64 anos. Cada indivíduo relatou pelo menos dois dos 11 sintomas de transtorno por uso de álcool no último ano - o suficiente para receberem o diagnóstico clínico do problema. Esses sintomas incluíam beber mais do que o pretendido, lutar para reduzir os efeitos colaterais físicos ou sintomas de abstinência do álcool e interferência da bebida na vida pessoal ou profissional. A partir das respostas, os pesquisadores dividiram os bebedores em cinco classes:
  1. “Somente efeitos adversos” - Classificação mais comum, identificada em 34% dos voluntários. Eles declararam ter tido ressaca ou sintomas de abstinência relacionados ao consumo excessivo, mas poucos outros problemas. Essa classificação foi mais prevalente entre adultos jovens.
  2. “Lesão induzida pelo álcool” – Em segundo lugar na prevalência, presente com 25% dos entrevistados. Essas pessoas praticam atos como dirigir, nadar ou fazer sexo sem proteção sob influência do álcool. O comportamento foi mais comum entre adultos mais velhos, atingindo o pico por volta dos 58 anos.
  3. “Altamente problemático, baixa interferência percebida na vida” – Terceiro grupo, identificado em 21% da amostra. Esses indivíduos relataram muitos sintomas de consumo problemático. Os jovens adultos compunham uma porcentagem desproporcionalmente alta dessa classe, talvez porque, especialmente universitários, beber é parte importante de suas vidas sociais.
  4. “Dificuldade de redução” – Segundo o estudo, 13% dos entrevistados se enquadravam na categoria com baixa prevalência da maioria dos sintomas, mas com dificuldade para reduzir o consumo de álcool. Adultos com mais de 53 anos eram mais propensos a cair neste grupo.
  5. “Altamente problemático” - O menos comum, porém mais grave, abrange 7% dos entrevistados. Trata-se de indivíduos com alta probabilidade de relatar todos os sintomas associados ao transtorno de uso de álcool, incluindo efeitos negativos em suas vidas e saúde. Seu pico é aos 48 anos.
“Muitas pessoas relacionam transtorno de uso de álcool com alguém na classe ‘altamente problemática’”, diz a coautora do estudo, Ashley Linden-Carmichael, professora assistente da Universidade Estadual da Pensilvânia, nos Estados Unidos. “Mas esse não é o caso. O distúrbio está presente em todas as categorias.” Leia a reportagem completa aqui . Fonte: Jamie Ducharme Síntese: Equipe Plenae

Compartilhar:


Coloque em prática

50 truques para relaxar

Saber a hora de descomprimir pode evitar uma crise de saúde. Existem muitas maneiras de manter esses fatores estressantes sob controle.

22 de Janeiro de 2019


O estresse faz parte da vida.  Preocupações de trabalho e pressões pessoais, no entanto, podem deixar qualquer um à beira de um ataque de nervos. A chave é saber quando isso está prestes a acontecer.  Saber a hora de descomprimir pode evitar uma crise de saúde. Existem muitas maneiras de manter esses fatores estressantes sob controle. Abaixo, reunimos 50 pequenos hábitos cotidianos que farão você relaxar. São possíveis até para quem não tem tempo.
  1. Escreva suas preocupações em um diário.
  2. Descasque uma laranja. Estudos mostram que o cheiro de frutas cítricas pode ajudar a reduzir o estresse.
  3. Leia um livro por ao menos seis minutos.
  4. Coma um abacate. As gorduras monoinsaturadas e o potássio podem reduzir a pressão arterial.
  5. Faça um passeio em um espaço verde.
  6. Saia com o seu melhor amigo.
  7. Passe alguns minutos concentrando-se em sua respiração.
  8. Tire uma soneca profunda.
  9. Leve seu cachorro para o trabalho. A pesquisa sugere que ter o Totó no escritório pode reduzir os níveis de estresse ao longo do dia.
  10. Ouça Mozart.
  11. Experimente um pouco de aromaterapia. Um estudo de 2009 descobriu que é uma técnica eficaz de alívio do estresse, especialmente para estudantes do ensino médio.
  12. Solte uma risada.
  13. Receba uma massagem.
  14. Dê um grande abraço em alguém.
  15. Se solte no karaokê...
  16. ...ou cante no coro da sua igreja.
  17. Crie um pequeno projeto ou peça de artesanato.
  18. Faça tricô. Pesquisas mostram que essa atividade coloca o seu cérebro em estado de fluxo semelhante ao da meditação.
  19. Falando nisso, experimente um pouco de meditação de atenção plena (mindfulness).
  20. Faça sexo.
  21. Cancele a assinatura de todos os e-mails promocionais.
  22. Beije um ente querido.
  23. Ligue para sua mãe.
  24. Faça um exercício de relaxamento muscular progressivo.
  25. Experimente a técnica “meditação chocolate”. Isso permite que você aproveite totalmente cada instante da degustação. Instruções aqui .
  26. Tire férias dos e-mails. (Bônus: Isso também torna você mais produtivo.)
  27. Perdoe alguém.
  28. Pense em algo pelo qual você é grato.
  29. Exercite-se. Pesquisas mostram que isso ajuda a aumentar a capacidade do corpo de lidar com o estresse.
  30. Esteja consciente de como você lida com a frustração durante uma discussão.
  31. Beba chá preto.
  32. Desligue seu smartphone por alguns minutos.
  33. Ande feliz. A pesquisa mostra que, se você se comporta como uma pessoa feliz, também se sentirá mais feliz.
  34. Beba um pouco de suco de laranja.
  35. Masque chiclete.
  36. Reflita sobre o que (e quem) é importante em sua vida.
  37. Coma alimentos ricos em ácidos graxos ômega-3. Que venha o salmão!
  38. Se aproxime de suas crenças religiosas.
  39. Procure um trabalho menos estressante.
  40. Descubra qual a cidade menos estressante em seu estado e pense em se mudar para lá (ou apenas visitar regularmente).
  41. Ande ou pedale para o trabalho.
  42. Ouça os calmos sons da natureza.
  43. Coma um alimento com aveia.
  44. Experimente a acupuntura.
  45. Abra um sorriso para alguém.
  46. Faça alguns exercícios mentais de imagens guiadas.
  47. Arranje uma planta para sua casa ou sua mesa.
  48. Deixe-se cair em um bom choro.
  49. Coma um pouco de chocolate amargo.
  50. Entre em contato com o seu iogue interior.

Compartilhar:


Inscreva-se na nossa Newsletter!

Inscreva-se na nossa Newsletter!


Seu encontro marcado todo mês com muito bem-estar e qualidade de vida!

Grau Plenae

Para empresas
Utilizamos cookies com base em nossos interesses legítimos, para melhorar o desempenho do site, analisar como você interage com ele, personalizar o conteúdo que você recebe e medir a eficácia de nossos anúncios. Caso queira saber mais sobre os cookies que utilizamos, por favor acesse nossa Política de Privacidade.
Quero Saber Mais