A magia do recomeço

O sinal acabou de soar, são 7h30 da manhã e no ar, há um cheiro de pão de queijo fresquinho e tinta de caneta nova

5 de Fevereiro de 2024


O sinal acabou de soar, são 7h30 da manhã e no ar, há um cheiro de pão de queijo fresquinho e tinta de caneta nova. Há também um clima de novidade em cada corredor onde uma criança passa correndo, seguido de um grito "cuidado com a escada" dado pela inspetora.  

A volta às aulas marcava esse período tão extraordinário nesse lugar chamado infância. Com ela, vinham as novas possibilidades, sejam elas de amigos ou de finalmente se dar bem em determinada matéria. Era quase como um ano novo particular dentro de cada um daqueles alunos, os votos de renovação em um ambiente que é sim acadêmico, mas também essencialmente social. 

Foi na escola que aprendemos o valor de uma companhia na hora do lanche. A confiança em uma dupla na educação física. A força de um trabalho em grupo e de uma nova e avassaladora paixão. Aprendemos na escola muitas fórmulas e regras ortográficas, mas também a guardar os segredos de um melhor amigo.  

Quando as férias de verão acabam, os dias de praia podem até ficar para trás, mas há pela frente tantos outros universos a serem explorados. Porque é nesse retorno que moram os grandes recomeços, os primórdios de tantas coisas que brotam na meninice, mas que nos acompanham por toda a vida adulta.  

E é como se procurássemos essas sensações que o primeiro dia de aula nos causava por toda a nossa existência. Que a gente possa se reconectar com essa criança interna, cheia de expectativas e vontade de fazer, todos os dias, pelo menos um pouco. É isso que trará mágica e alegria para os dias comuns. 

A magia do recomeço A magia do recomeço A magia do recomeço A magia do recomeço

Compartilhar:


Para Inspirar

Há um limite para a vida humana?

Cientistas acreditam que a vida humana não possa se estender por mais de 110 anos

26 de Abril de 2019


Quando completou 120 anos em 1995, a francesa Jeanne Calment foi questionada sobre o tipo de futuro que ela esperava: “Um muito curto”, respondeu. Ela teve mais dois anos de vida. Morreu aos 122 e entrou para a história como a pessoa mais longeva do mundo. Cientistas disseram que o recorde da francesa pode durar muito tempo. Desde a morte dela, em 1997, não houve registro de alguém tão velho. Uma análise da mortalidade e dos dados da população cobrindo cerca de 40 países indicaram que a humanidade já pode ter atingido o limite de longevidade. A expectativa média de vida continua aumentando e mais pessoas estão chegando à velhice extrema. A questão é que as pessoas que chegam aos 110 anos, hoje, não têm maior expectativa de vida do que quem viveu até a mesma idade na década de 1970. “É possível passar um pouco, mas é mínima a probabilidade de sobreviver mais do que Jeanne”, disse o geneticista molecular Brandon Milholland, do Albert Einstein College of Medicine, um dos coordenadores do estudo publicado na revista Nature . “Apesar de quaisquer ganhos na expectativa de vida média, há um limite além do qual a vida útil máxima dos seres humanos não pode ser estendida.” Desde o século 19, o aumento da expectativa de vida tem sido impulsionado pelos avanços da medicina, caso das vacinas e antibióticos, além de tratamentos para câncer e doenças cardíacas. Some a isso as conquistas no saneamento básico e da nutrição.  A mortalidade infantil diminuiu em todo o mundo e as expectativas de vida nos países desenvolvidos atingem agora os 70 e 80 anos. “Nós suspeitamos que o acúmulo de danos com a idade, especialmente mutações nas células individuais do corpo, coloca um limite no tempo de vida", disse Milholland. “A pesquisa médica geralmente se concentra em doenças individuais, que não prolongam a vida útil máxima. Um tratamento que melhora a função cardíaca não previne a neurodegeneração.” Leia o artigo original aqui .

Compartilhar:


Inscreva-se na nossa Newsletter!

Inscreva-se na nossa Newsletter!


Seu encontro marcado todo mês com muito bem-estar e qualidade de vida!

Grau Plenae

Para empresas
Utilizamos cookies com base em nossos interesses legítimos, para melhorar o desempenho do site, analisar como você interage com ele, personalizar o conteúdo que você recebe e medir a eficácia de nossos anúncios. Caso queira saber mais sobre os cookies que utilizamos, por favor acesse nossa Política de Privacidade.
Quero Saber Mais