Para Inspirar

Sua saúde depende de como você vê a vida

Enxergar um significado na própria vida diminui as chances de distúrbios de sono, ataques cardíacos e mortes prematuras

4 de Fevereiro de 2019


Por que se preocupar em sair da cama de manhã? Ter uma boa resposta para essa pergunta pode ajudá-lo a permanecer mais saudável e a viver mais. Enxergar um significado na própria vida diminui as chances de distúrbios de sono,  ataques cardíacos e mortes prematuras. Um artigo publicado na Review of General Psychology ajuda a esclarecer como o propósito e a saúde podem estar conectados. “Redução do estresse, melhor enfrentamento e estilo de vida saudável são algumas das consequências de ter um propósito na vida”, diz a principal autora do artigo, Stephanie Hooker, da Universidade de Minnesota. Sentido da vida. Cada pessoa define uma vida significativa de um jeito. Segundo Hooker, no entanto, trata-se basicamente da ideia de que a existência faz sentido e que você é importante no mundo. Apenas levar uma vida “boa” provavelmente não é suficiente para colher as recompensas de saúde que o estudo mostra. “Você provavelmente precisa se lembrar regularmente sobre o que dá propósito à sua vida”, afirma a pesquisadora. As pressões e os aborrecimentos diários tiram o foco do seu propósito inicial ao escolher uma carreira. Quando isso acontece, se você puder recuar e tirar alguns momentos para refletir sobre o que faz tudo valer a pena, sua saúde e sua felicidade provavelmente se beneficiarão. Os impactos do senso de propósito na saúde:
  1. Estresse reduzido. Estar ciente do que é mais importante ajuda a manter frustrações e aborrecimentos em perspectiva. Você ainda está lidando com o mesmo engarrafamento, prazo iminente ou chefe exigente. Mas você não está colocando a situação fora de proporção, e isso resulta em menos estresse.
  2. Estresse aumentado. Por outro lado, sentir que sua vida é inútil pode aumentar o nível de estresse.
  3. Melhor enfrentamento. Pessoas que acham significado na vida escolhem estratégias de enfrentamento mais eficazes quando passam por um problema ou desafio. Por exemplo, em um estudo sobre pacientes com artrite submetidos à artroplastia do joelho (cirurgia de substituição do joelho) que apresentavam forte senso de propósito enfrentaram melhor a operação e se recuperaram melhor da intervenção.
  4. Autoestima. “As pessoas que têm um senso maior de significado podem ter maior probabilidade de cuidar de si mesmas porque sentem que suas vidas são mais importantes”, diz Stephanie, autora do estudo. “Elas têm esse objetivo final que estão tentando alcançar e a saúde é a base para poder fazer isso.”
Mais pesquisas. Anteriormente, Hooker realizou um estudo na Universidade do Colorado em Denver para analisar a relação entre o significado e a atividade física. Ela percebeu que o senso de propósito mais forte estava associado à maior atividade física. Outras equipes de pesquisa encontraram links semelhantes para o comportamento saudável. Por exemplo, em um estudo de adultos mais velhos, um senso de propósito foi associado a um maior uso de serviços preventivos de saúde, como a realização de um teste de colesterol, mamografia ou exame de próstata. Não por acaso, também estava relacionado a passar menos tempo no hospital. Os resultados de todos esses estudos apontam para o mesmo ponto: a importância de encontrar motivos para achar que a vida vale a pena – e se lembrar disso com frequência – será bom para sua saúde. Leia o artigo original aqui .

Compartilhar:


Para Inspirar

A décima quarta temporada do Podcast Plenae está no ar!

Venha conhecer um pouco mais sobre cada um dos seis participantes, que se inscreveram e tiveram suas histórias selecionadas!

12 de Novembro de 2023


A décima quarta temporada do Podcast Plenae está para começar! Apertem os seus cintos e aproximem seus fones no ouvido, porque esse mergulho promete ser intenso e inesquecível. 

Depois de uma seleção criteriosa e centenas de histórias bonitas, a equipe Plenae escolheu as seis representantes dos nossos pilares para dar voz a essa temporada. O esquema você já conhece: cada personagem representa um pilar Plenae e narra sua trajetória, com o objetivo de inspirar a sua também. 

Nesses próximos dias, você conhecerá o relato potente de Luciane Zaimoski que, representando o pilar Mente, contou sobre os aprendizados que colheu depois de um acontecimento com o seu filho que mudou a sua vida. O médico Fernando Korkes representa o pilar Propósito e conta como encontrou o seu próprio quando se viu do outro lado da mesa: o de acompanhante de um paciente. 

Aline Borges, sobrevivente de uma síndrome rara e representante do pilar Espírito, relembra sua experiência de quase morte e como essa situação a conectou definitivamente com o divino. Em Relações, nos emocionamos com a história de amor que Bella Santoyo nos traz e como vidas que se cruzam possuem a força de mudar todo um destino. 

Regis Adriano nos prova que se não tudo, muita coisa é possível quando se tem foco no objetivo final. Ex-usuário de drogas, ele representa o pilar Corpo e nos marca para sempre com o seu testemunho. Para finalizar a temporada, conhecemos a resiliência de Emar Batalha, que insistiu em dar a volta por cima mesmo quando a tempestade parecia vencer - e, por isso, representa o pilar Contexto.

Uma coisa é fato: a cada final de temporada, voltamos diferentes, mudados e melhorados. Esse é o poder que ouvir o que o outro tem para falar pode exercer em todos nós. Aperte o play e inspire-se!

Compartilhar:


Inscreva-se na nossa Newsletter!

Inscreva-se na nossa Newsletter!


Seu encontro marcado todo mês com muito bem-estar e qualidade de vida!

Grau Plenae

Para empresas
Utilizamos cookies com base em nossos interesses legítimos, para melhorar o desempenho do site, analisar como você interage com ele, personalizar o conteúdo que você recebe e medir a eficácia de nossos anúncios. Caso queira saber mais sobre os cookies que utilizamos, por favor acesse nossa Política de Privacidade.
Quero Saber Mais