Parada obrigatória

Plenae + Fleury: por mais qualidade de vida onde quer que seja

A mais nova parceria entre o Plenae e o laboratório Fleury quer levar conhecimento sobre qualidade de vida enquanto você espera para ser atendido.

23 de Junho de 2022


A mais nova parceria entre o Plenae e o laboratório Fleury quer levar conhecimento sobre qualidade de vida enquanto você espera para ser atendido. Fechamos uma parceria com o laboratório e lançamos a campanha Mergulhe em Você. Mergulhe no Plenae.

Trata-se de um convite para que os pacientes possam navegar em um espaço digital exclusivo e se emocionar com as reflexões, entrevistas e matérias sobre estes assuntos - tudo isso enquanto estão ainda na sala de espera.

“As pessoas podem se inspirar e relaxar antes da realização dos exames. Um convite para mergulhar em si mesmo e se informar, claro. O Plenae já disponibiliza conteúdos proprietários e de pesquisas desde de 2018. Apenas em formato podcast já são quase 50 episódios”, afirma Geyze Diniz, citando nomes como Henrique Fogaça, João Carlos Martins, Fafá de Belém, Rubens Barrichello, Fernanda Souza, entre tantos outros que já participaram.

Os prismas do Plenae estarão disponíveis nas mais de 35 unidades Fleury da cidade de São Paulo durante três meses. Por meio desses primas, você irá escanear um QR Code que irá te direcionar para uma página construída especificamente para essa campanha, com conteúdos pré-selecionados e também a possibilidade de navegar no Plenae como um todo.

O prisma ainda conta com um um espelho pequeno, convidando esse paciente a olhar para si de forma simbólica e literal antes de embarcar nesse mergulho proposto pelo Plenae. A campanha será disponibilizada de forma gratuita para todos o público que frequentar os laboratórios. Se for o seu caso, não deixe de conferir! 

Compartilhar:


#PlenaeApresenta Fernando Korkes e o encontro íntimo com o propósito

Na décima quarta temporada do Podcast Plenae, conhecemos as descobertas de um médico que se viu do outro lado da mesa em Propósito.

20 de Novembro de 2023



“Muitos médicos são treinados somente pra avaliar o que é possível fazer pelo paciente, e não o que faz sentido fazer. Isso ficou muito claro pra mim, quando a minha mãe foi diagnosticada com câncer. Eu sou urologista especializado em oncologia. E viver na pele o papel de filho de uma pessoa com câncer mudou a minha maneira de encarar o tratamento da doença.”

É com essa frase impactante que o segundo episódio da décima quarta temporada de inicia, tendo Fernando Korkes como narrador e representante do pilar Propósito. Ao longo dessa jornada, conhecemos os primeiros sinais de que havia algo de errado com a sua mãe, mais sério do que ela gostaria de demonstrar.

“Eu estava no clube com a minha esposa e com meus filhos, quando a minha mãe me mandou uma mensagem. E foi aí que o pesadelo começou. O texto dizia mais ou menos assim: ‘Acho que meu exame deu alguma coisa esquisita. Queria que você desse uma olhada’. A minha mãe era bem direta ao ponto, uma pessoa mais de ações do que de palavras. Eu puxei isso dela”, relembra.

Ao chegar em casa, Fernando revirou exames antigos, das mais variadas especialidades, e começou a juntar as peças: de fato, algo estava errado. Foi quando a jornada começou. “Na minha cabeça, começaram a vir números. Em oncologia, trabalhamos muito com estatísticas. É uma especialidade complexa, e foi justamente isso que me encantou nessa área. (...) Só que a situação da minha mãe era diferente. Eu comecei a revirar a literatura médica sobre casos como o dela. É um diagnóstico tão raro, que não tem muitos estudos a respeito. Mas quando eu fui cruzando os dados que eu encontrei, eu calculei que a chance de cura era de 4%.”
Fernando sabia o que viria pela frente: aos 62 anos, sua mãe teria que enfrentar uma jornada difícil e pouco promissora. O que ele não sabia é que essa jornada que era de sua mãe se tornaria sua também de alguma forma. Isso porque, com o passar dos meses e dos tratamentos, ele, que sempre estivera do outro lado da mesa, se tornou o acompanhante do paciente e não mais o médico.

Pode parecer um mero detalhe, mas isso mudou sua percepção de conduta para sempre. Fernando entendeu ali, na pele, que o tratamento ideal nem sempre envolve a clínica e múltiplas tentativas científicas: muitas vezes, trazer qualidade de vida para quem enfrenta um diagnóstico tão duro é a melhor coisa que o médico pode fazer pelo seu paciente.

“Ficou nítido para mim que a medicina às vezes olha a doença e pensa em como tirá-la. Só que nem sempre essa abordagem é a melhor praquela pessoa. Um dos médicos com quem a gente se consultou, por exemplo, sugeriu uma cirurgia mutiladora. Mas o fato é que aquela cirurgia não aumentaria a chance de cura e pioraria a qualidade de vida. Então qual era o sentido?”, questiona.

Sem spoilers, os desdobramentos dessa situação mudaram os rumos de Fernando para sempre e o encaminharam para um mergulho ainda mais no Sistema Público de Saúde, onde ele pode unir seu conhecimento profissional a uma missão maior e que hoje deu sentido à sua vida. Emocione-se você também: aperte o play e inspire-se com essa história!

Compartilhar:


Inscreva-se na nossa Newsletter!

Inscreva-se na nossa Newsletter!


Seu encontro marcado todo mês com muito bem-estar e qualidade de vida!

Grau Plenae

Para empresas
Utilizamos cookies com base em nossos interesses legítimos, para melhorar o desempenho do site, analisar como você interage com ele, personalizar o conteúdo que você recebe e medir a eficácia de nossos anúncios. Caso queira saber mais sobre os cookies que utilizamos, por favor acesse nossa Política de Privacidade.
Quero Saber Mais