#PlenaeApresenta: Konrad Dantas e as portas que se abriram

Mergulhe na história de reinvenção e vitórias de Konrad Dantas, representando o pilar Contexto.

6 de Maio de 2024



Que as oportunidades não são iguais para todos, nós sabemos. Mas o que cada um é capaz de fazer a partir daquilo que se tem à sua disposição? Konrad fez mais do que poderia imaginar. O produtor musical que encerra a nossa décima quinta temporada do Podcast Plenae representa o pilar Contexto e nos inspira com a forma que ele tomou as rédeas de seu destino.

“Começar a vida do zero é fácil. Eu comecei no menos 100. Eu sou negro. Não tenho sobrenome italiano. Não estudei em faculdade renomada. Eu aprendi a filmar fazendo cursos livres. Nas aulas, eu era o único moleque que não tinha morado fora do Brasil. O único que não falava inglês fluentemente. Era o mais jovem da turma. Na minha cabeça, eu tinha que arrepiar”, diz.

O menino que nasceu em Santos e cresceu na Vila Santo Antônio, na periferia do Guarujá, no litoral de São Paulo, é filho de uma professora da educação infantil e de um “faz tudo”: pintor, pedreiro, cozinheiro, encanador, entre outros. Sua infância foi simples e se deu nas ruas de um conjunto habitacional. Isso o moldou para sempre.

“Quando eu era criança, eu sonhava em mudar a realidade da minha família. Eu não acreditava que eu tinha capacidade intelectual de passar num vestibular de uma faculdade pública. E a minha família não tinha condições de pagar uma boa faculdade privada. Então, eu achava que a música seria o meio pra eu ganhar dinheiro”, conta.

E foi. Mas antes de descobrir isso, a jornada foi longa. Aos 11 anos, para se ter uma ideia, Konrad começou a cantar rap, estilo musical muito comum nas periferias, e fundou a sua própria produtora, ainda um projeto muito incipiente. “Eu escrevi o nome da gravadora na porta do armário, no meu quarto. Coisa de moleque. Eu não lembro o que eu escrevi, mas era alguma coisa relacionada ao nome do meu bairro. Tipo Quebrada Santo Antônio, alguma coisa assim”, diz.

Esse era o começo de algo maior. O próprio nome artístico adotado até hoje, Kondzilla, nasceu nessa mesma época inspirado no filme Godzilla, o primeiro que ele assistiu no cinema. Acontece que o rap não deu certo por conta de sua timidez e também pela sua falta de habilidade com instrumentos musicais. “Eu entendi que eu era um apertador de botão. Um apertador de botão com um bom ouvido”, reflete.

Ele não tardou em corrigir a rota. “Eu acho que uma das minhas maiores habilidades, desde cedo, é corrigir a rota quando um caminho tá indo na direção errada. Eu aprendi com a minha mãe a ser pragmático. Não tenho tempo a perder”. Aos 16 anos, ele ganhou um primeiro gravador de CD. Com isso, ele montava coletânea de músicas e fazia sozinho a capa dos CDs para vender posteriormente. O empreendedorismo corria inevitavelmente em suas veias.

Quando sua mãe faleceu subitamente, os seus planos foram interrompidos temporariamente. “Quando a minha mãe morreu, a gente estava sem se falar, por causa de um desentendimento. Na minha cabeça, a gente ia fazer as pazes. Não deu tempo. Ela ficou em coma 10 dias. Eu fui todos os dias ao hospital conversar com ela. Eu tenho paz no meu coração. Ela me perdoou por tudo que eu fiz de errado, e eu perdoei ela também. Eu tenho certeza que um dia a gente ainda vai se encontrar e vai alinhar tudo que estava desalinhado nesse plano espiritual”, emociona.

Com o dinheiro do seguro de vida deixado, Kond decidiu investir no que há de melhor: sua educação. “. Eu comprei a minha primeira câmera e fui pra São Paulo estudar computação gráfica e cinema 3D. Na época, eu estava focado em trabalhar com pós-produção. Então, eu não me dediquei a duas disciplinas: direção de cena e direção de fotografia. Quando o curso acabou, eu me senti em dívida com a minha mãe. Eu comecei a estudar essas matérias por conta própria. O resultado foi que eu acabei me apaixonando por essas duas áreas que, hoje, são o core business da minha empresa”, conta.

Kond continuou se aventurando até entender que a música era o começo e o fim de sua história, e que a cultura e a arte tem um peso imenso para populações mais desfavorecidas e pouco contempladas por essa área. O resto da história você confere no episódio completo, disponível no Spotify ou aqui em nosso site. Aperte o play e inspire-se!

Compartilhar:


Parada obrigatória

E o seu corpo, vai bem?

O que foi falado no Plenae em maio

31 de Maio de 2023


Estamos chegando novamente a mais um fim de mês - e que bom ter você por aqui mais uma vez! Se você nos acompanhou ao longo de maio, pôde perceber que nos dedicamos a pensar na nossa morada em suas várias possibilidades e abordagens. Se você não nos acompanhou, não tem problema! Vem com a gente que no caminho a gente te conta. E atenção: tem um spoiler no final desta newsletter!


Se você ainda não conhece…
Está na hora de conhecer! Estamos falando dele, o seu assoalho pélvico. Essa região, formada por ligamentos, músculos e tecidos conjuntivos fibrosos, resistentes e elásticos, fica localizada no final do trato gastrointestinal, do trato urinário e do aparelho reprodutor. Fortalecê-la pode ser mais importante do que você imagina.


Assistiu e relaxou
Os vídeos ASMR são a sensação do momento! Seja vídeos de sussurros, embalagens sendo abertas, pincel de maquiagem no microfone, mastigação, não importa! O estilo veio para ficar e tem sido cada vez mais estudado por um motivo: esses atos simples mexem com uma região específica do nosso cérebro



Big girls cry sim!
Se você que está nos lendo tem o péssimo hábito de segurar o choro, nós temos uma notícia importante: chorar faz bem! Ao contrário do que fomos ensinados ao longo da vida, verter em lágrimas é um mecanismo importante do nosso corpo para restabelecer o equilíbrio e até lubrificar nossos olhos. Vem entender mais!



Rocky Balboa, é você?
E se o assunto é corpo e tendência, não podíamos deixar de falar do boxe! Neste artigo, começamos contando a história da modalidade e quais são os benefícios desse exercício que todas as influenciadoras parecem estar fazendo. Mas você também vai encontrar as vantagens da modalidade luta no geral. Prepare-se!



Love is love
Essa afirmação, que deveria ser óbvia, infelizmente ainda não é para muitos. No Dia Internacional contra a Homofobia, a Transfobia e a Bifobia, mergulhamos em dados tristes sobre a situação dos LGBTQIA+ no país. Também demos dicas de como combater esse preconceito dentro de você mesmo. Todos os corpos importam!

A religião da Madonna
Assim ficou conhecida a cabala nos anos 90. Mas a verdade é que essa filosofia existe há mais de 2 mil anos e é um braço de outra crença ainda maior: o judaísmo. Neste artigo, te contamos um pouco mais sobre a história que há por trás da cabala e quais são os ensinamentos dessa corrente que você pode colocar em prática.



Quem economiza, tem quando precisa
Aí na sua família, você já ouviu esse ditado? Guardar dinheiro é um dos ensinamentos mais clássicos passados de geração em geração. E não é pra menos, afinal, é essa reserva que te ajuda a realizar sonhos e te socorre em momentos difíceis. Neste artigo, te demos dicas para começar a sua poupança



Hora de mergulhar!
Esse é o convite das nossas crônicas quinzenais: uma pausa no seu dia para refletir com muita poesia sobre o que realmente importa. Em maio, falamos sobre o resgate da mulher que há por trás da mãe no dia das mães. Também olhamos para aquilo que nos visita de tempo em tempo: os sonhos! Vem mergulhar você também.



E o seu intestino, como vai?
A saúde do intestino é importante e não deveria ser motivo de constrangimento ou piada. O nosso “segundo cérebro” pode ser acometido por doenças autoimunes sérias, que causam bastante desconforto para quem as sente. E a campanha do Maio Roxo que te contamos aqui quer falar sobre esse tabu que habita entre nós.



Os vários jeitos de maternar
E se dedicamos uma crônica ao dia das mães, não poderíamos deixar de dedicar o nosso queridinho Tema da Vez também. Em maio, nossa newsletter mensal se aprofundou na maternidade para entender suas várias possibilidades e as cobranças e culpas que ainda castigam as mães.
Se você leu tudo até o final atrás do spoiler, essa é a hora de te contar: temos temporada nova no ar! Isso mesmo, a décima segunda temporada do Podcast Plenae chegou no finalzinho do mês com a empreendedora Fernanda Ribeiro, representando o pilar Contexto. Foi um aperitivo para te deixar curioso com o turbilhão de sentimentos e trajetórias que vêm por aí! 

Fique com a gente em junho e prepare-se para se emocionar mais uma vez. Nos vemos lá! 


Compartilhar:


Inscreva-se na nossa Newsletter!

Inscreva-se na nossa Newsletter!


Seu encontro marcado todo mês com muito bem-estar e qualidade de vida!

Grau Plenae

Para empresas
Utilizamos cookies com base em nossos interesses legítimos, para melhorar o desempenho do site, analisar como você interage com ele, personalizar o conteúdo que você recebe e medir a eficácia de nossos anúncios. Caso queira saber mais sobre os cookies que utilizamos, por favor acesse nossa Política de Privacidade.
Quero Saber Mais