Coloque em prática

Como a neurociência pode te ajudar com o seu propósito?

O estudo da mente que vem ganhando cada dia mais espaço pode ser um atalho e um aliado na busca por um propósito - ou na realização dele.

16 de Junho de 2023


Há pessoas que descobrem o seu propósito ainda bem jovens. Seja guiados por um dom, um chamado, um exemplo no qual se espelham ou até uma inteligência específica mais aguçada, como te contamos neste artigo. O terceiro participante da décima segunda temporada do Podcast Plenae, Leo Farah, foi mais ou menos assim.

Primeiro, ele decidiu que queria ser médico. Chegou a passar e começar a estudar nesse que é um dos cursos mais concorridos do país e até do mundo. Mas, foi a vocação para bombeiro que brilhou mais os seus olhos. Por um tempo, tentou conciliar ambas. Porém, quando a vida cobrou que ele escolhesse um só caminho, ele não teve dúvidas: o Corpo de Bombeiros o faria ajudar mais pessoas, que era o seu propósito maior de vida.

A história é linda, emocionante e inspiradora, mas não reflete a realidade de todas as pessoas. Isso porque existem aquelas que ainda estão em busca de seus propósitos. Por aqui, te contamos como a filosofia IKIGAI pode te ajudar nessa busca, que de repente mora nos detalhes do seu cotidiano sem que você sequer se dê conta. 

Também te explicamos a relação entre propósito e felicidade, traçamos oito dicas para te ajudar a encontrar o seu, reunimos diferentes matérias sobre o assunto em uma só e trouxemos ainda uma palestra do próprio Abilio Diniz contando um pouco da sua experiência relacionada ao tema. Agora, queremos entender um pouco mais sobre a perspectiva da neurociência a respeito do assunto. Continue lendo a seguir!

O que é a neurociência

A Neurociência é o campo de estudo que olha para como o sistema nervoso se dá segundo suas funcionalidades, abrangendo não só o cérebro, mas também seus nervos periféricos e até a medula espinhal, que guarda consigo informações importantes a respeito do nosso funcionamento. 

A partir dessas três regiões, responsáveis por coordenar nossas ações voluntárias e involuntárias, a neurociência analisa nosso comportamento e nossas emoções, bem como os fenômenos da mente. Portanto, como explica esse artigo da PUC, trata-se de um campo científico que busca revelar estruturas, processos de desenvolvimento e alterações que possam ocorrer ao longo da vida.

Ela ainda é um campo científico multidisciplinar, que se relaciona com Antropologia, Educação, Linguística, Medicina, Ciência da computação, entre outros campos. Ela também se divide em 5 campos de estudo:

  • Neurofisiologia, que investiga funções do sistema nervoso (atividades do cérebro e da medula), periférico (funções do nervos, sensibilidade e músculos) e desordens do sistema como um todo.

  • Neuroanatomia, que investiga a relação entre estrutura e as funções do cérebro, medula espinhal, nervos e terminações nervosas.

  • Neuropsicologia, que estuda o sistema nervoso sob a ótica do comportamento humano e como o cérebro influencia nossas funções.

  • Neurociência comportamental, que se aprofunda como nosso inconsciente afeta a conduta humana, bem como nossa identidade e memória.

  • Neurociência cognitiva, que busca entender o pensamento, memória e dinâmica do aprendizado, além da nossa percepção e sensações. 

Portanto, a neurociência é um campo que estuda, principalmente, nosso funcionamento, estrutura, desenvolvimento, possíveis alterações ao longo da vida e como tudo isso afeta nosso comportamento. E é somente tendo consciência dos nossos processos internos é que podemos modificá-los.

O propósito enquanto conceito

O propósito é uma palavra proveniente do latim, proposĭtu pode ser desmembrada em pro (para mim) + positum (posto, colocado). Portanto, propósito é aquilo que está posto para mim, originalmente, como te explicamos neste artigo. Ele é parte de tudo aquilo que é da ordem da intenção, do objetivo, da finalidade. 

É quase que um sinônimo para projeto, é aquilo que se busca alcançar todos os dias, segundo a definição da Oxford Languages. E por ser um objetivo quase que diário, por vezes o propósito pode ser confundido com a felicidade, que é outro termo ainda mais subjetivo e individual do que o anterior. 

“Existem artigos de neurologia e psiquiatria que apontam que as pessoas que mais buscam felicidade são as mais adoecidas mentalmente. É super importante deixar isso claro: a felicidade é um efeito colateral de um propósito. Se tivéssemos uma fórmula para alcançá-la, ela basicamente só teria dois componentes: momentos de bem-estar no dia a dia e, de forma mais ampla, uma ideia que me dá sentido à vida", diz o neurologista e professor na UNIFESP, Fabiano Moulin.

O cérebro e o propósito

Chegamos então ao gigante e importantíssimo órgão que rege grande parte do nosso funcionamento e, claro, das nossas emoções. Mas, é preciso estar atento aos seus truques e artimanhas. “O cérebro tem uma capacidade muito grande e espontânea de desejar, mas muito pequena em se sentir satisfeito com o que tem. Isso não é só cultural, existe algo de biológico mesmo e hoje nós sabemos dos circuitos neurais e do processo que a gente chama de adaptação hedônica” explica o especialista. 

Essa adaptação passa, principalmente, pela capacidade de previsibilidade que temos e que, por vezes, falha. Antecipamos acontecimentos em busca de nos proteger mas, muitas vezes, eles nem chegam a de fato acontecer. “Quando o cérebro começa a ter maior competência de previsibilidade, menor é a liberação de dopamina, portanto menor o prazer daquela ação de forma isolada", continua explicando Moulin. 

É aí que mora o perigo: as coisas parecem “perder a graça”, mesmo atingindo objetivos que você sempre sonhou. Isso porque o seu cérebro se vicia em prazeres momentâneos, um mecanismo parecido com a paixão, que te contamos neste artigo. É necessário exercitá-lo para que ele não enxergue o mundo como ele é, mas sim como nós somos. 

Sem essa compreensão, estaremos sempre presos no desejo da falta, e não na presença. Esse filtro que temos do mundo é um processo ativo, influenciado pela nossa família e pela cultura onde estamos inseridas. Portanto, é preciso um trabalho igualmente ativo para mudarmos essa ótica e enxergarmos a vida com mais propósito, observando desde os pequenos prazeres cotidianos até uma preocupação com o bem-estar coletivo.

“Vivemos no Ocidente, lugar onde o grande alvo da felicidade é o indivíduo. No Oriente, mesmo hoje em dia, é o coletivo que importa. Nem sempre a felicidade de uma pessoa tem a ver com o propósito de toda uma sociedade. Mas a evidência maior é a de que, quando agregamos um propósito pessoal a um acréscimo de bem-estar para humanidade , a felicidade é ainda maior”, explica.

“Então considerarmos o outro nesta fórmula é muito importante, porque de novo, eu acho que esse ponto é importante. O outro importa muito, nós não somos uma ilha, fazemos parte de um contexto. E importar-se com esse contexto torna seu propósito muito mais forte” conclui Fabiano.

Pare e se pergunte: O que eu faço bem? O que pra mim dói menos que pra maioria das pessoas? O que é aquilo que, quando eu faço, não vejo a hora passar e que as pessoas valorizam? O que eu faria de graça na vida? E o principal: como eu poderia mudar o mundo, ainda que de forma pequena? Todos esses são questionamentos que irão educar o seu cérebro para expandir e enfim encontrar o que é seu.

Compartilhar:


#PlenaeAprova: Milagre da Manhã

1 de Abril de 2021

Estamos muito animados em dar início a essa nova jornada de autoconhecimento com vocês e decidimos iniciar o Plenae (a)prova com o pilar Propósito Não poderia ser diferente, visto que ele, muitas vezes, é o alicerce para muitas transformações em nossas vidas.

O propósito é o que nos preenche de força de vontade, foco, intencionalidade positiva e motivação para alcançar nossos objetivos. É por meio do propósito que conseguimos rumar nossa vida para sermos nossas melhores versões. É ele também o responsável por nos tirar da cama todos os dias: se você possui uma missão - ou várias! - muito clara de vida, ou se propõe a estar em busca dela, então você entendeu o verdadeiro significado de sua existência.

Escolhemos um livro que se tornou um dos maiores best-sellers neste quesito: " O milagre da manhã ". Milhares de adeptos das práticas propostas por Hal Elrod relatam terem vivido mudanças tão significativas em suas vidas que parecem verdadeiros milagres. Tais mudanças aconteceram movidas por uma força de vontade muito grande, dessas que podem mover montanhas ou apenas nos tirarem da zona de conforto.

Transformações profundas acontecem nas primeiras horas do dia destas pessoas e queremos saber mais sobre esse processo. Ajuste seu despertador e venha vivenciar esta experiência matinal com o Plenae. Confira os resultados desta jornada em nossas redes dia 28 e faça o desafio você também!

Todos queremos melhorar algo em nossas vidas, mas por que é tão difícil? Para Hal Elrod, autor do livro “O milagre da manhã” , a grande chave é entender que seu nível de sucesso está completamente relacionado ao seu nível de desenvolvimento pessoal . Seja qual for a área da vida que você deseja melhorar, não importa: olhar para si e dedicar tempo para seu crescimento é o caminho .

Foi assim que surgiu sua proposta de separar 1 hora diária para realizar atividades de desenvolvimento pessoal. E por que pela manhã ? Pois parecia o único horário possível sem que a vida viesse e atrapalhasse os planos. Uma hora de práticas capazes de causar grandes impactos se realizadas com consistência: silêncio, leitura, afirmações positivas, visualizações, diário, exercícios físicos.

Assim, o Milagre da Manhã é um livro que nos chama para a ação . Constantemente, Hal faz perguntas que nos tira da zona de conforto e nos faz refletir profundamente sobre nosso potencial em ser e viver tudo aquilo que tanto sonhamos. E é isso que faz toda a diferença. Conheça o relato da experiência a seguir!

1° semana de prática

“Sete dias praticando diariamente o Milagre da Manhã. Estou bastante impressionada com a capacidade de motivação que o livro traz. Eu, que não me considero uma pessoa disciplinada em nada, muito menos matinal, estou me sentindocomprometida como nunca em minha vida . Hal conseguiu acessar algum botão escondido dentro de mim e, a cada dia que passa, me sinto mais e mais motivada a seguir adiante.

Não é fácil acordar cedo, mas vou fortalecendo minha disciplina a cada amanhecer, quando sinto que venci o dragão da preguiça. Fiz o que é certo e não o que é fácil . Essa sensação é muito empoderadora. O caminho é longo, mas não importa mais, comecei a andar e isso, por si só, já é extremamente transformador”.

2º semana de prática

“Senti que esta semana foi mais difícil que a primeira . Aquele entusiasmo inicial estava se dissipando. Percebi dentro de mim uma ansiedade batendo à porta, querendo ver resultados, querendo viver o êxtase todos os dias. Então me lembrei que estou em um desafio, e isso envolve um certo grau de esforço. Estava fácil demais.

Hal nos prepara para este momento, dividindo o desafio dos 30 dias em 3 blocos, sendo: (1-10) Insuportável; (11-20) Desconfortável; (21-30) Imbatível. Então o mantra do momento é: esse sentimento é temporário . As mudanças são dolorosas e precisamos estar abertos a vivenciar este desconforto. Uma respiração profunda. Seguimos ”.

3º semana de prática

“Passei pela parte mais desafiadora , os primeiros 21 dias, agora acordar cedo e realizar as práticas matinais ficou fácil, prazeroso e mais, indispensável . Minha mente, que inicialmente fazia de tudo para me convencer a dormir mais, agora é um eco ao longe e desiste rapidamente, pois sabe que é uma batalha perdida, vou me levantar. Realmente, começar o dia com calma, dedicando tempo a mim mesma, não tem preço.

No domingo, ainda que não tivesse nenhum compromisso, acordei cedo para poder realizar cada prática com mais tempo e meu Milagre da Manhã durou a manhã inteira.  Escrever é uma das minhas práticas favoritas e uma das formas mais deliciosas e incríveis de organizar meus sentimentos e pensamentos. Quanto mais escrevo , mais clareza tenho . Para ampliar o bem-estar da meditação matinal, agora também me dou de presente 5 minutos de silêncio na hora do almoço. Sinto o Milagre da Manhã se expandindo ao longo do dia, vou encontrando pequenas brechas de tempo para estar mais comigo mesma e isso é maravilhoso”.

4° semana de prática

Consegui. Completei o desafio de “O milagre da manhã” para uma mudança de vida em trinta dias, proposto por Hal Erold. O que aprendi? Em primeiro lugar, observei que sempre quando quero mudar algo em minha vida, aparece uma voz rígida e exigente. Ela é a responsável por, já na primeira falha, me colocar todos os rótulos negativos e tornar o desafio algo quase impossível de superar. Neste sentido, ser gentil comigo mesma foi crucial durante o processo e, apesar de não falhar nem um dia no meu propósito, alguns dias fui mais flexível, respeitando minhas limitações e entendendo que é um passo de cada vez.

Foi igualmente importante me manter sempre motivada. Para isso, usei duas estratégias que o Hal menciona no livro: encontrei um parceiro de responsabilização e reli o livro. O parceiro eu encontrei dentro de casa, o que foi maravilhoso. Tentei convencer meu namorado a fazer o desafio comigo, as palavras foram fracas, o que ajudou mesmo foi meu próprio engajamento e disciplina. Ao me ver tão dedicada, ele foi se inspirando e se motivando, e duas semanas depois ele começou a fazer o Milagre da Manhã comigo. Hoje quando um desanima, o outro é a voz do estímulo. Realmente faz diferença e ajuda muito. Reler o livro foi importante também, isso me ajudou a relembrar o porquê de ter dado o primeiro passo, me motivou a me comprometer uma e outra vez.

Hoje, olho para trás e, com um sorriso no rosto, agradeço àquela primeira versão de mim mesma pela coragem de ter dado o primeiro passo, pela força de ter ultrapassado os momentos mais difíceis. Vislumbro o futuro e me preencho de entusiasmo, cada dia consigo ver mais nítida a imagem desse novo “eu”. E assim, declaro meu novo compromisso: fazer as práticas de desenvolvimento pessoal por, pelo menos, um ano e ver os resultados dessa dedicação a longo prazo. Não quero parar agora, virei “milagreira” da manhã!

60 minutos + 6 práticas de desenvolvimento pessoal nas primeiras horas da manhã: isso é tudo o que você precisa para conquistar disciplina, clareza, diminuição do estresse e um aumento de foco e felicidade. Essa é a promessa de Hal Elrod àqueles que se dedicam com firmeza ao desafio de 30 dias do Milagre da Manhã. Acompanhamos de pertinho este desafio e podemos dizer que sim, um mês de meditação, afirmações positivas, visualizações, leituras, escritas e exercícios físicos são capazes de fazer você se sentir outra pessoa.

Para nós, "O milagre da manhã" é, de fato, um livro capaz de transformar seus dias e te colocar em um caminho de crescimento pessoal extraordinário. A divisão do desafio em 3 partes bem definidas ajuda a ultrapassar os obstáculos que se apresentam no caminho. De insuportável a imbatível, ele nos mostra que, ao superar o desconforto e a briga interna dos primeiros 20 dias, o novo hábito irá se tornar fácil e prazeroso - assim ocorreu.

O momento de silêncio diário ajudou na diminuição do estresse, as afirmações positivas aumentaram a autoestima e o bem-estar e a escrita trouxe clareza e foco no que importa. Por fim, acordar 1 hora antes do necessário não é fácil para ninguém. Sendo assim, a determinação em fazer isso diariamente construiu a incrível virtude da disciplina, tão necessária para conquistar tudo aquilo que desejamos.

Compartilhar:


Inscreva-se na nossa Newsletter!

Inscreva-se na nossa Newsletter!


Seu encontro marcado todo mês com muito bem-estar e qualidade de vida!

Grau Plenae

Para empresas
Utilizamos cookies com base em nossos interesses legítimos, para melhorar o desempenho do site, analisar como você interage com ele, personalizar o conteúdo que você recebe e medir a eficácia de nossos anúncios. Caso queira saber mais sobre os cookies que utilizamos, por favor acesse nossa Política de Privacidade.
Quero Saber Mais