Para Inspirar

Ter um propósito dá alegria e vida longa

Pesquisas de diferentes países apontam o propósito como fator redutor do estresse e de aumento da qualidade de vida

23 de Agosto de 2019


Vários estudos realizados, nos últimos cinco anos, demonstraram o papel vital que o senso de propósito desempenha no aumento da longevidade humana. A maioria deles aponta para a diminuição dos riscos de morte – principalmente os relacionados às doenças coronarianas. O que mais chama a atenção, no entanto, é a melhora da qualidade de vida. Aumenta a felicidade, o bom-humor e a disposição de sair todos os dias da cama, independentemente da idade. Quando se tem um propósito, a vida passa a ser gratificante – e não um tormento existencialista que parece não ter fim. Os estudos partem de várias regiões do mundo. Uma das pesquisas mais citadas foi realizada em 2014 pelo professor Patrick Hill do Departamento de Psicologia da Universidade de Carleton, em Otawa, no Canadá, e do psicólogo especializado em longevidade Nicholas Turiano, do Centro Médico da Universidade de Rochester, nos Estados Unidos. A dupla selecionou 6 mil voluntários que foram acompanhados durante 14 anos. “Ter um objetivo na vida levou a um menor risco de mortalidade ao longo do tempo independentemente da idade”, afirmam os autores. A pesquisa aponta que pessoas com propósito apresentaram risco de morte 15% menor. Os autores sugerem que não importa a idade com que o indivíduo encontre um objetivo de vida, porque o impacto positivo será o mesmo. Hill fez uma análise controlada de outros fatores conhecidos que afetam a longevidade, como gênero, idade e bem-estar emocional. O propósito supera todos eles. “Ter um objetivo abrangente funciona como um farol ou como uma bússola para a vida das pessoas”, diz ele. O objetivo pode ser pequeno, como simplesmente ver a família feliz, ou grande, ambos promovem mudanças significativas. A pesquisa não deixa clara a forma como o propósito impacta a saúde dos participantes. Redutor de estresse. Em Chicago, Anthony Burrow, psicólogo da Universidade de Cornell, resolveu testar o resultado da dupla acima. Para isso recrutou estudantes de raças e etnias de bairros diferentes de Chicago. De acordo com ele, o propósito protege, sim, o organismo contra o efeito negativo do estresse. Da mesma forma, outro estudo recente realizado com adultos mais velhos com “vida orientada para um objetivo” revelou terem “57% menos probabilidade de morrer durante o período de 5 anos ­– quando comparados com grupos sem propósito”. Os resultados também sugeriram que os efeitos positivos fizeram a diferença com indivíduos que sofriam de “depressão, deficiências, condições médicas crônicas ou dificuldades financeiras”. Há evidências científicas de ser um protetor contra doenças cardíacas, acidentes vasculares cerebrais e demência. Teste sua “idade real” no site Sharecare .

Compartilhar:


Para Inspirar

Menopausa só aos 70 anos? A ciência avança nessa direção

Técnica experimental realizada por equipe médica da Inglaterra mostrou-se capaz de adiar o fim da menstruação por até duas décadas

16 de Agosto de 2019


Uma revelação feita recentemente por uma clínica de fertilização da Inglaterra impressionou a comunidade científica — a realização de uma cirurgia capaz de adiar a menopausa por até duas décadas. Até então, todos os medicamentos e dietas direcionados para a fase feminina que começa em torno dos 50 anos apenas aplacavam os sintomas do fim da menstruação, como o calor, a depressão e a falta de libido. “A possibilidade de atrasar a menopausa é extremamente emocionante”, disse Amanda Kallen, endocrinologista reprodutiva e especialista em fertilidade da Yale Fertility Center, nos Estados Unidos, uma das maiores referências em reprodução assistida. Para o ginecologista Eduardo Zlotnik, vice-presidente do Hospital Albert Einstein, em São Paulo, “é preciso cautela, mas a ideia é ótima e pode ser protetora contra muitas doenças”. A menopausa ocorre com o fim da produção de hormônios femininos, como o estrogênio. Sem ele, a mulher não engravida, envelhece mais rapidamente e se torna vulnerável a doenças, sobretudo as cardiovasculares e as ósseas. A nova técnica, batizada de restauração hormonal, tem base numa lógica simples: retiram-­se, ainda na juventude, pedaços milimétricos da camada externa do ovário, os chamados folículos ovarianos primordiais, trechos que abrigam as estruturas produtoras do estrogênio. Eles são depois reimplantados durante a menopausa — especificamente, doze meses após a última menstruação. Os folículos, que ficam congelados, não sofrem com o envelhecimento natural e ao ser repostos voltam a funcionar. Os especialistas calculam que, se a extração for feita aos 25 anos, eles possam fabricar o hormônio até vinte anos depois da chegada da menopausa. Em tese, a mulher não só teria as características da juventude restauradas como poderia até engravidar. O procedimento foi criado pela equipe da clínica ProFam, cujo proprietário, Simon Fishel, pertenceu à equipe gestora do primeiro bebê de proveta, na década de 70. O tratamento foi aplicado por completo em apenas uma paciente, a professora Dixie-Louise Dexter. Dixie sofria de uma doença que lhe causou a perda do útero e dos ovários aos 32 anos. Ela entraria em menopausa precoce, portanto. Ao se submeter à cirurgia, há um ano, teve a produção hormonal restaurada. “Agora me sinto muito bem, sem os sintomas da menopausa”, disse ao jornal The Sunday Times . A restauração hormonal já era usada em mulheres diagnosticadas com câncer precocemente e que planejavam engravidar. Há, contudo, sérias ressalvas. Diz Edson Borges, especialista em reprodução assistida do Fertility Medical Group: “Ainda é cedo para recomendar o recurso. São necessários estudos que mostrem a inexistência de risco da retirada de folículos na juventude e também da ação do hormônio tardiamente”. De qualquer modo, abriu-se uma janela de otimismo para uma preocupação das mulheres. Fonte: Letícia Passos, para Veja Leia o artigo original aqui .

Compartilhar:


Inscreva-se na nossa Newsletter!

Inscreva-se na nossa Newsletter!


Seu encontro marcado todo mês com muito bem-estar e qualidade de vida!

Grau Plenae

Para empresas
Utilizamos cookies com base em nossos interesses legítimos, para melhorar o desempenho do site, analisar como você interage com ele, personalizar o conteúdo que você recebe e medir a eficácia de nossos anúncios. Caso queira saber mais sobre os cookies que utilizamos, por favor acesse nossa Política de Privacidade.
Quero Saber Mais