Parada obrigatória

Inspiração, para que te quero?

O que foi falado no Plenae em novembro

1 de Dezembro de 2023


Novembro acabou e agora a reta é realmente final! Dezembro já está aí e o que precisa ser feito ainda esse ano, deve ser feito agora ou então postergado para o próximo. É hora de começar a fazer o balanço final e correr para o abraço! Por aqui, iniciamos mais uma temporada do Podcast Plenae para fechar esse ciclo com chave de ouro. E, claro, não deixamos de entregar conteúdos importantes nem por um dia.

Quais foram eles? Te contamos! 



Novembro sem tabus 

Estamos no mês da conscientização do câncer de próstata e trouxemos o assunto já no primeiro dia, afinal, ele é de extrema relevância. Neste post, reunimos alguns dados para ficar de olho acerca do tema e ainda relembramos falas importantes do urologista Fernando Korkes, entrevistado ano passado para falar sobre o mesmo assunto. 



Assoprar as velinhas não é tão importante assim 

Ficou confuso com o título? Explicamos: há uma diferença entre idade cronológica – aquela que é contada ano após ano – e a idade biológica. A segunda pode ser bem diferente da primeira e serve como uma métrica importante e reveladora sobre o seu estado de saúde. Vem entender mais do assunto!  



Ao ler isso, você está respirando? 

Pode parecer uma pergunta leviana, mas não é! A apneia de tela, conceito que desmistificamos por aqui, é o termo dado a um hábito nocivo das sociedades modernas. Observado desde 2008, trata-se de um mecanismo do nosso corpo que nos faz respirar de forma desregulada diante do estresse – que nesse caso, é a tela.



A arte de viver a arte 

Colocar os fones, fechar os olhos e começar a flutuar dentre as combinações de sons e vozes que se estendem ou se encurtam, depende do objetivo. Estar diante de uma pintura que revela detalhes sutis. Viajar em um livro, estar diante de uma peça que se desdobra ali, na sua frente. Nessa crônica, honramos o poder da arte!  



Já entregou suas tarefas? 

Admita: você já procrastinou alguma vez na vida. A prática é comum a todos nós, mas pode se tornar um problema quando se torna crônica e causa prejuízos sociais, por exemplo. Conversamos com uma especialista para entender a natureza da procrastinação e como driblar esse incômodo. Você confere tudo aqui! 



Saúde mental entrou na reunião 

Que a saúde mental é importante, você já deve saber. O tema ganhou ainda mais notoriedade durante a pandemia, quando as mazelas da mente acometeram milhares de nós. Mas e no trabalho, você está atento às suas emoções? Sabe respeitar seus limites? Trouxemos algumas dicas valiosas para te ajudar nessa jornada!



A pior dor de uma mãe 

No primeiro episódio da décima quarta temporada do Podcast Plenae, mergulhamos no relato de Luciane Zaimoski e voltamos completamente diferentes. Representando o pilar Mente, ela conta sobre a depressão de seu filho, como essa doença tão séria acabou levando-o embora e qual o seu propósito atualmente. Ouça aqui.  



Seu filho está ok? 

Inspirados pelo relato de Luciane, fomos entrevistar psicólogas especializadas em depressão infantojuvenil para entender quais são os sinais de alerta que os pais devem estar ligados. E ainda, o que fazer após perceber esses sinais? Qual é o papel da escola nessa jornada? O artigo completo está aqui!



Do outro lado da mesa 

No segundo episódio da décima quarta temporada do Podcast Plenae, conhecemos a história de Fernando Korkes, que de médico, se tornou acompanhante de paciente quando sua mãe entrou para as estatísticas do câncer. Esse período emocionalmente intenso acabou revelando aquilo que seria o seu propósito para sempre. Ouça aqui.



O último abraço 

É assim que o cuidado paliativo poderia ser definido, apesar de se tratar de um conjunto de técnicas que vão além de um simples abraço – mas se ele for preciso, também será dado. Neste artigo, conversamos com uma especialista no assunto e desmistificamos essa área tão sensível e que merece mais atenção. 

 


O bê-á-bá racial 

No Dia da Consciência Negra, decidimos fazer um glossário não com as palavras “proibidas” e discriminatórias, mas com as palavras permitidas e obrigatórias: aquelas que vão te ajudar a entender um pouco mais sobre essa luta e somar ainda mais nesse movimento – que para ter força de verdade, é preciso que seja coletivo



Alienação precisa 

Não podemos fechar os olhos diante de um mundo que parece se dissolver entre nossos dedos. Mas, se for preciso parar para respirar nessa jornada, acredite: será um ato importante de coragem. Não é possível retomar o fôlego que nossos tempos exigem sem esse intervalo. Nessa crônica, falamos sobre a importância dessa pausa.


Em dezembro, terminaremos essa temporada do Podcast Plenae com personagens muito, mas muito especiais. Lembrando que todos eles passaram por uma seleção extensa e nos tocaram com suas histórias de vida assim, de forma genuína. Temos certeza de que assim você estará também depois do play. Fique de olho ainda nos conteúdos que prepararemos para encerrar o ano. Nos vemos em breve! 



Compartilhar:


Entrevista com

Mônica Barroso

Diretora de Aprendizagem da The School of Life

O propósito é o nosso lugar no mundo

26 de Março de 2019



Diversas pesquisas confirmam que ter um propósito prolonga a vida protege a saúde traz felicidade . Mas como uma pessoa pode encontrar o seu propósito? Para a coach Mônica Barroso, diretora de aprendizagem da The School of Life São Paulo - escola que se dedica ao desenvolvimento de inteligência emocional - a descoberta começa com a tomada de consciência. 

O que é propósito de vida? Aristóteles dizia que a felicidade é uma sabedoria prática. Nessa linha, gosto de definir propósito como algo dinâmico, não um fim. Trata-se de algo que alcançamos por meio do hábito e do esforço de fazermos escolhas que nos coloquem no caminho de experiências cotidianas de qualidade. É um trabalho diário de buscar coerência entre o que pensamos e fazemos. Ter propósito é estar presente em cada momento, ciente dos aprendizados do passado e das possibilidades de futuro. A qualidade das experiências cotidianas se dá a partir do momento em que somos protagonistas de nossas escolhas e ações. 

Podemos descobrir o nosso propósito intuitivamente? Durante a nossa infância e adolescência, a depender da educação, desvendamos nossas paixões, interesses e talentos. Na fase em que mais nos dedicamos ao trabalho, da juventude até a aposentadoria, colocamos nossos talentos a serviço do mundo. Quando as pessoas fazem escolham profissionais que casam com suas paixões e talentos, elas têm mais facilidade de se conectar com seu propósito. Porém, muitas vezes, somos levados a seguir carreiras diferentes daquelas que gostaríamos, e nos distanciamos do nosso propósito. 

Propósito e objetivo são a mesma coisa? Os objetivos são as intenções que nos colocam em movimento para onde queremos ir. Quando alguém me procura para um trabalho de coaching, primeiro defino junto com a pessoa o seu objetivo. Suponhamos que seja transição de carreira. Dentro disso, vamos construir o caminho para alcançar o propósito, que pode ser a satisfação com o trabalho. Logo, a mudança de carreira seria a ferramenta para alcançar algo mais amplo, o propósito. Imagine que os talentos, paixões e interesses sejam “o que”. O trabalho seria o “como”, e o propósito, o “para que”. 

O que podemos fazer para descobrir o nosso propósito? O primeiro passo é a tomada de consciência. Quando sentimos que nossa vida anda em círculo, pode ser o momento de parar e olhar para si. O autoconhecimento ajudará a pessoa a adquirir uma percepção mais refinada de que um ciclo se fechou. Talvez não seja o caso de pedir demissão, mas de se reposicionar dentro da empresa, por exemplo. Também é preciso ter coragem. Muitas vezes a pessoa sabe e sente o que quer, mas não consegue agir. Nas ações, estamos sujeitos a julgamentos e expectativas. 

O propósito está sempre atrelado ao trabalho? A vida profissional e pessoal do ser humano não era tão separada antes da revolução industrial. De lá para cá, homem foi transformado na figura do trabalhador. Passamos a ter uma dedicação grande ao trabalho, que nos leva a colocar uma expectativa alta nessa área. No entanto, às vezes não é na profissão que nos realizamos. Talvez nosso momento de recarregar as energias esteja em algum hobbie, lazer ou relações. Eu, por exemplo, retomei dois hobbies que havia abandonado: nadar e tocar violoncelo. Senti um preenchimento tão grande que até no meu trabalho o impacto foi positivo. 

Existe algum exercício para uma pessoa descobrir qual é o seu propósito? Existem duas grandes perguntas na vida: qual é a minha missão e quem sou eu. Costumo praticar e ensinar um exercício que indiretamente ajuda a responder essas duas questões e nos traz para o presente. No fim de cada dia, imagine uma estrela de cinco pontas. Cada ponta representa uma esfera da vida: espiritualidade, relacionamentos, lazer, trabalho e saúde (física e mental). Reflita como foi seu dia nesses cincos pontos e se faça duas perguntas: o que foi essencial e acessório? Ao fim dessa pequena avaliação, pergunte-se: amanhã, qual é o maior menor passo que posso dar para evoluir na minha estrela? O maior menor passo o estimulará a fazer algo pequeno o suficiente para caber na sua vida, mas grande a ponto de fazer diferença. Quando a gente se propõe um objetivo pequeno demais, sente que não evolui, enquanto um grande demais pode causar frustração. Esse exercício ajuda muita gente a trazer qualidade para as experiências cotidianas. 

O propósito em geral está associado ao trabalho. Como encontrar propósito depois da aposentadoria? O propósito é o nosso lugar do mundo, algo íntimo e construído ao longo da vida. Quem conhece seu propósito e o cultiva, não sente um vazio ao se aposentar, pois o propósito não se encerra com a vida profissional. A aposentadoria apenas abre espaço para o indivíduo ressignificar suas ações.

Compartilhar:


Inscreva-se na nossa Newsletter!

Inscreva-se na nossa Newsletter!


Seu encontro marcado todo mês com muito bem-estar e qualidade de vida!

Grau Plenae

Para empresas
Utilizamos cookies com base em nossos interesses legítimos, para melhorar o desempenho do site, analisar como você interage com ele, personalizar o conteúdo que você recebe e medir a eficácia de nossos anúncios. Caso queira saber mais sobre os cookies que utilizamos, por favor acesse nossa Política de Privacidade.
Quero Saber Mais