Coloque em prática

Coma pimenta e viva mais

A planta tem propriedades antimicrobianas e anti-inflamatórias, ligadas à prevenção doenças.

5 de Julho de 2018


Comer pimenta picante faz bem à saúde. Reduz em 13% o risco de morrer cedo. Muito usado no tempero de comidas baianas, a planta tem propriedades antimicrobianas e anti-inflamatórias, ligadas à prevenção doenças. As conclusões foram tiradas de uma nova análise feita de um estudo de 2015 sobre as comidas picantes publicada no PLOS One, a primeira e maior plataforma online para publicações científicas. O relatório usou dados de 16.179 adultos americanos voluntários de um estudo sobre saúde pública, o mais amplo e longevo desenvolvido até o momento nos Estados Unidos. Em 23 anos tiveram 4.946 óbitos. Depois de controlar fatores como idade, sexo, tabagismo, pressão arterial, colesterol, diabetes e outras características, descobriram que os participantes com hábito de comer pimentas picantes viviam mais tempo. Os autores não tinham informações sobre as quantidades de pimentas ingeridas. Então devemos comer mais pimentas? “A evidência não é suficientemente forte para fazer você trocar de dieta”, disse o coautor do estudo, Benjamin Littenberg, professor de medicina da Universidade de Vermont. “Não fume, limite a ingestão de calorias, não beba em excesso, receba uma vacina contra a gripe todos os anos. Estas são coisas que temos muitas evidências convincentes de que o ajudarão a viver mais tempo.” Leia o artigo completo aqui.

Fonte: Nicholas Bakalar Síntese: Equipe Plenae


Comentários


Recebe nossa Newsletter: bem-estar, autoconhecimento e muito mais, todo mês no seu e-mail!

Um convite para você ser protagonista de sua própria história.

Utilizamos cookies com base em nossos interesses legítimos, para melhorar o desempenho do site, analisar como você interage com ele, personalizar o conteúdo que você recebe e medir a eficácia de nossos anúncios. Caso queira saber mais sobre os cookies que utilizamos, por favor acesse nossa Política de Privacidade.
Quero Saber Mais